Em jogo histórico, Portland bate Phoenix por 124 a 76

860344008-portland-trail-blazers-v-phoenix-suns.jpg.jpg

Não poderia ser uma estréia melhor. Os Blazers, após um começo ruim, dominaram a partida e fizeram história ao conseguir a vitória por maior diferença de pontos em um jogo de estréia, a segunda maior da sua história, e a maior derrota dos Suns.
Os Blazers começaram mal a partida, sofrendo para pontuar e para sair da marcação dos Suns que até ali funcionava muito bem. Logo no começo do jogo Harkless cometeu duas faltas e foi substituído por Pat Connaughton e foi aí que o jogo começou a mudar. Pat entrou pegando fogo e acertou todos os seus cinco primeiros arremessos, abrindo uma boa vantagem para os Blazers que não foi mais perdida durante todo o resto do jogo.Além de Pat, Napier e Ed entraram muito bem do banco e ajudaram os Blazers a reverteram a situação adversa dos cinco primeiros minutos de partida.
Com a adversidade do começo do jogo vencida, Portland fez um excepcional segundo quarto, ganhando-o por 31 a 14. O domínio dos Blazers se estendeu até o final da partida, com o time não tirando o pé em nenhum segundo, tanto que conseguiu uma vantagem durante o jogo de incríveis 58 pontos.
Os Blazers mostraram uma equipe muito consistente mesmo sem a presença do seu segundo melhor jogador (Cj, que ficou de fora por conta de uma suspensão). Pat e Napier fizeram uma excelente partida e lideraram o time quando Lillard ia descansar. A bela atuação dos dois é um alívio para os torcedores de Portland, já que sem Crabbe vindo do banco o time poderia perder muito em chutes do perímetro e em qualidade na rotação. Além de Pat e Napier, Ed e Caleb também se saíram bem na noite de ontem. Ver Ed Davis saudável é uma alegria para os torcedores dos Blazers. O pivô do time de Oregon fez uma partida muito segura, tanto ofensivamente quanto defensivamente, e junto com Caleb formaram um garrafão duro de se enfrentar. Os dois tem um bom senso de posicionamento e protegem o aro muito bem.
Nurkic, Cj e Moe também fizeram uma boa partida. Dame foi o que se espera de Damian Lillard: genial. O armador de Portland converteu bolas incríveis e foi o maestro do time nessa verdadeira sinfonia que foi a atuação no jogo de ontem. Nurkic conseguiu mais um Double-double com a camisa dos Blazers (11 pontos e 11 rebotes) e Moe foi um leão na defesa, fazendo um belo e eficiente jogo defensivo.
Os Blazers voltam a quadra na sexta-feira às 21:00 horas contra Indiana, que ganhou no seu jogo de estréia contra os Nets.
Damian Lillard: 27 pontos, 5 rebotes, 5 assistências , 1 roubo e 3 tocos.
Jusuf Nurkic: 11 pontos, 11 rebotes, 1 assistência e 1 roubo
Maurice Harkless: 8 pontos, 5 rebotes e 1 toco
Al-Farouq Aminu: 5 pontos, 12 rebotes e 2 assistências
Evan Turner: 12 pontos, 4 rebotes, 3 assistências, 1 roubo e 1 toco
Pat Connaughton: 24 pontos (career high), 2 rebotes e 2 assistências
Shabazz Napier: 10 pontos, 3 rebotes, 3 assistências e 2 roubos.
Ed Davis: 10 pontos, 7 rebotes e 1 toco.
Caleb Swanigan: 8 pontos, 4 rebotes, 3 assistências e 1 roubo.
Jake Layman: 3 pontos, 1 assistência e 2 roubos
Meyers Leonard: 6 pontos e 4 rebotes.

Samuel Novaes

Anúncios

Uma olhada nos números dessa pré temporada

A pré temporada já começou e após cinco jogos dos Blazers o que podemos  tirar de positivo? Bem, não há duvidas sobre a capacidade do nosso Big Three (Dame, CJ e Nurkic) mas sobre os seus outros dois companheiros de quadra sim. A temporada deve começar sem que tenhamos claro quem serão os dois titulares que ajudarão as nossas estrelas à chegarem nos Playoffs, por isso, separei os números dos oito jogadores (oito porque o Vonleh não está atuando por conta de uma contusão no ombro direito) que em tese brigam por essa vaga para que analisemos.

EvanTurner-1.jpg

Após a saída de A. Crabb para os Nets nessa última offseason me parece bem claro que o papel de Turner deve crescer na equipe. Turner muito provavelmente vai ser o sexto homem de Portland, tanto para substituir Cj quanto para substituir Aminu ou Harkless. Turner começou apenas um dos cinco jogos de Portland nessa pre season mas mesmo assim tem a terceira maior média de minutos dos jogadores que aqui serão citados. Foram 20,6 minutos de média para Evan que renderam 8,8 pontos, 3,2 rebotes e 3,4 assistências. Abaixo do que Turner deve e precisa produzir para os Blazers nesse ano.

moe-harkless-contract.jpg

Como Turner deve ser o encarregado de vir do banco para substituir as posições dois e três, quem vai ser o nosso ala titular? A disputa está relativamente equilibrada entre Harkless e Aminu mas com vantagem para o primeiro. Harkless foi titular quase toda a temporada passada e não deve perder a vaga para o nigeriano esse ano se tudo ocorrer como o esperado. Até por conta disso, Aminu só foi titular na posição de SF nessa pre season em apenas um jogo, enquanto Harkless foi em dois deles. Ambos foram titulares três vezes, trocando de posição em uma das partidas (com Harkless sendo PF e Aminu SF). Além do retrospecto os números de Harkless nesse jogos são superiores aos de Aminu. Harkless jogou cerca de 22 minutos, fazendo 8,4 pontos, pegando 3 rebotes e dando 1,6 assistências de média, enquanto Aminu jogou 19 minutos, fez 4,8 pontos, pegou 5,2 rebotes e deu 0,6 assistências de média.  A dupla vantagem de Harkless sobre o nigeriano faz com que ele seja muito mais forte na briga pela quarta posição do que na briga pela terceira, apesar disso, muita coisa pode mudar nessa rotação que parece tão vasta.

r170188_576x324_16-9

Além de Aminu, a quarta vaga no nosso time titular é disputada por Vonleh, Davis, Leonard, Caleb e Zach. A teoria é que ela fique entre Vonleh e Aminu nesse começo de temporada, mas se o crescimento de Zach, Caleb e Leonard (quem diria!) continuarem isso pode mudar.  Os números de Leonard, Zach e Caleb são bastante interessantes nessa pre season. Leonard vem mostrando uma grata evolução com o pouco tempo de quadra que está sendo a ele ofertado. Foram 15,2 minutos de média que renderam a Meyers 8 pontos, 6,2 rebotes e 0,75 assistências de média. Já Caleb foi ainda melhor com os mesmos 15,2 minutos de quadra e conseguiu uma média de 7,2 pontos, 7,2 rebotes e 0,6 assistências. Zach, que se mostrava bastante cru na summer league evoluiu e recebeu bastante tempo de quadra até agora. Ele esteve em média por 21 minutos em quadra e fez 8 pontos, pegou 4,4 rebotes e deu 1 assistência por jogo. Os garotos e o nem tão garoto assim (Leonard) podem vir a beliscar a posição em alguns jogos e até roubar a mesma de Aminu e Vonleh ( a minha aposta é que o Caleb fará isso). Assim, o time que deve começar a temporada semana que vem deve ser formado por Dame, Cj, Harkless, Aminu e Nurkic

Porquê Portland deve trocar Meyers Leonard

NBA: Portland Trail Blazers at Toronto Raptors

Leonard foi draftado pelos Blazers em 2012 na 11º posição, cinco posições atrás de Damian Lillard. Meyers foi selecionado antes de jogadores como Draymond Green (35º) e Khris Middleton (39º). Ambos hoje são jogadores importantíssimos e talvez indispensáveis para as suas equipes (principalmente Green) diferentemente do Leonard.

Desde que se juntou aos Blazers em 2012, Meyers jogou 299 partidas (temporada regular), tendo começado como titular em apenas 38 (Vonleh que só está a duas temporadas com Portland já foi titular 97 vezes). Nesses 299 jogos, Leonard  tem uma média de 5.7 pontos, 3.9 rebotes e 0.8 assistências. Além disso, Leonard que tem como seu grande diferencial a bola de três tem um aproveitamento (médio em sua carreira) de cerca de  37%. Esse percentual vem caindo a cada ano. Foi de 42.9 em 2012/2013, 42 em 2014/2015, 37.7 em 2015/2016 e 34.7 em 2016/2017.

Na última pós temporada Meyers assinou um contrato de 41 milhões de dólares pagos em 4 anos. O alto valor pago em Leonard fez com que a expectativa da torcida dos Blazers crescessem. Porém, todos ficamos desiludidos e impacientes, o que não é comum em Portland, ao fim da temporada. Essa temporada foi a pior temporada de Meyers em Portland (pior do que a temporada 13/14 quando ele jogou pouquíssimo). Meyers jogou 16 minutos por jogo e contribuiu com apenas 5.4 pontos e 3.2 rebotes, tendo ainda um péssimo aproveitamento (38.6%).O péssimo desempenho do pivô de 25 anos culminaram nas vaias destinadas a ele no último jogo dos Blazers nos playoffs.

Para essa temporada Portland reforçou o seu garrafão com dois bons nomes: Caleb e Zach. Zach, apesar de se mostrar bastante cru, vai ganhar bons minutos vindo do banco (Portland se esforçou para conseguir draftar a jovem promessa de Gonzaga na 10º escolha), assim como Caleb que, diferentemente de Collins, pode contribuir e muito a equipe já na sua primeira temporada.

Com a aquisição desses dois jovens e promissores pivôs (jogam de 4 e 5) a situação de Meyers fica bem complicada. Portland tem atualmente 6 jogadores de garrafão no seu elenco, são eles: Leonard, Nurkic, Davis, Vonleh, Caleb e Collins. De todos esses jogadores, o atleta que menos deve ter tempo em quadra nessa temporada é Meyers.

Olshey, em uma entrevista em que analisava a temporada dos Blazers, disse  que com Leonard tudo se resume a confiança. O problema é que, caso se confirme o cenário que estou supondo, Meyers não terá minutos suficientes para desenvolver seu jogo e adquirir a confiança que precisa para devolver em quadra os 40 milhões que são entregues a ele fora dela.

A troca de Meyers não é só importante para Portland, que se livraria de um péssimo contrato dado a um jogador que não corresponde, mas é também  importante para Leonard, que necessita de novos ares para se desenvolver e ganhar a tão importante confiança que precisa para se tornar o jogador que se esperava que ele fosse.

O relacionamento entre Meyers e Portland se desgastou bastante na última temporada. Ambos precisam mudar. Leonard precisa de um novo time e Portland não precisa mais do pivô que foi a sua 11º escolha em 2012. Os Blazers terão dificuldades em achar alguém que aposte em Meyers e que o queira até 2020 (quando acaba o seu contrato), porém, há um mar de franquias em reconstrução e Leonard pode muito bem se encaixar em uma delas.

Samuel Novaes

Portland vence bem e tem Caleb Swanigan como principal destaque

dc-afy4uiaafets

Em jogo válido pela Summer League os Blazers enfrentaram o Utah Jazz e venceram por 72 a 63. O principal destaque da partida foi o ala-pivô Caleb Swanigan. Swanigan fez 16 pontos e pegou 13 rebotes, conseguindo o seu primeiro Double-double com a camisa de Portland.

Os Blazers começaram o jogo com Hunter e Connaughton na armação, Layman e Caleb nas alas e Collins no garrafão, tendo como principais jogadores vindos do banco os armadores Gutierrez e Brown e o pivô Josh Scott.

Hunter não começou o jogo bem. Errou alguns chutes (melhorou no segundo tempo, terminando a partida com 12 pontos) e não conseguiu ditar um bom ritmo ao time. Muito por conta disso, Layman e Connaughton tiveram muito mais a bolas nas suas mãos. E souberam aproveitar. Layman foi um dos principais destaques de Portland com 13 pontos e 5 rebotes. Além disso, Layman carregou muito bem a bola, ditando um bom ritmo ao time. Pat aproveitou o tempo que passou com a bola e liderou o time em assistências, com 6. Apesar das assistências, Pat terminou a partida zerado, errando todos os 5 arremessos que fez (sendo 3 deles para três pontos). Esse jogo acende um sinal vermelho para o ala-armador de Portland, que vai ter que fazer muito mais do que isso para continuar no roster dos Blazers.

Do banco tivemos algumas gratas surpresas como Brown e Scott. Brown jogou 14 minutos, fez 7 pontos, pegou 5 rebotes e terminou a partida com 60% de aproveitamento dos chutes de quadra. Mais o principal mérito do ala-armador foi a sua qualidade defensiva. Brown marcou muito bem nos seus 14 minutos em quadra, contestando a maioria dos chutes adversários. Enquanto isso Scott, que jogou apenas 9 minutos, contribuiu para o time com 6 pontos, 3 rebotes e 2 assistências. O pivô terminou a partida com 50% de aproveitamento nos chutes.

As duas principais estrelas dos Blazers nessa Summer League (Caleb e Collins) tiveram estréias completamente diferentes. Caleb se mostrou um jogador muito mais pronto para ajudar Portland nessa temporada do que Collins. Zach é cru em comparação com Swanigan e isso ficou bastante evidente nessa primeira partida.

Zach começou o jogo bem, com bons passes e bons chutes (incluindo um fade away e uma bola de três) mas com o tempo se mostrou um jogador fraco fisicamente. Collins jogou muito mais do que estava acostumado a jogar na NCAA e isso pode ter pesado para o pivô dos Blazers. Além de uma fragilidade física (que com toda certeza será superada), Zach mostrou algumas precipitações na defesa (o que gerou faltas) e principalmente uma grande dificuldade de se livrar da marcação embaixo do garrafão, o que fez com que a principal escolha dos Blazers nesse draft fosse bloqueado 4 vezes. Além disso, Collins parecia ter dificuldade com a bola, não foi pouca as vezes em que o pivô bateu cabeça e perdeu a laranjinha (foram 6 TO). Por outro lado Collins, que terminou o jogo com 10 pontos, 7 rebotes e 4 tocos, mostrou que pode ser bastante versátil ofensivamente (principalmente se não for colocado de pivô). Seu jogo me lembra muito o de Kevin Love. Collins é capaz de chutar de três, de meia distância e de dar belos fade aways, mas quando o assunto é jogar de poste, lá dentro do garrafão, a coisa se complica.

Enquanto Zach deixou a desejar na sua estréia, Caleb (mais conhecido como Calebão) arrebentou. Caleb mostrou um faro espetacular para rebotes, conseguindo 4 rebotes ofensivos e 9 rebotes defensivos. O seu ótimo posicionamento no garrafão poderá ser muito importante para uma equipe como a dos Blazers que adora chutar para três. Ter Caleb no time é ter alguém que vai te proporcionar no mínimo 4 rebotes ofensivos por jogo, e essas segundas chances significam muito. Além de ser um reboteiro nato Caleb também tem uma boa visão de jogo, e isso ficou bem visível nos ótimos passes dados por ele no jogo de hoje. Por fim quero destacar a capacidade do número 50 de correr com a bola e puxar contra ataques no melhor estilo D.Green, o que me agradou demais.

Foi apenas o primeiro jogo dos Blazers na Summer League e por isso devemos ter paciência com jogadores que não tiveram uma boa atuação no dia de hoje. Há muito para ser trabalhado até o início da temporada e muita coisa ainda pode mudar. Go Blazers e obrigado Calebão!

Samuel Novaes

Os Trail Blazers selecionam Zach Collins e Caleb Swaningan com a 10º e 26º escolha

zachcollins.jpg

Portland começou o draft trocando a 15º e a 20º escolha pela pick top ten do Sacramento Kings. Com a 10º escolha os Blazers selecionaram o PF Zach Collins da Universidade de Gonzaga. Collins que chegou a final da NCAA neste ano deve chegar para ser titular no time dos Blazers. O novo ala-pivô de Portland é tido por muitos analistas como um futuro All-Star e um bom defensor ( o que será muito útil para os Blazers). Collins tem um bom tamanho, boa agilidade e uma boa capacidade de pegar rebotes.

 

 

gettyimages-630155048

Na 26º escolha o selecionado foi Caleb Swaningan. O ala-pivô/ pivô vindo de Purdue teve uma média de Double-double na temporada com 18.5 pontos e 12.5 rebotes. Além disso, Caleb conseguiu mais de 20 double-doubles na competição sendo 4 deles com mais de 20 rebotes. O novo pivô dos Blazers sabe usar muito bem o seu corpo (alto e forte) no trabalho de poste, além de ser um reboteiro nato.

Com essas duas escolhas a permanência de Meyers e até de Ed Davis fica cada dia mais difícil no time de Oregon. Sendo assim, a provável escalação dos Blazers para a próxima temporada deve ser: Lillard, CJ, Harkless, Zach e Nurkic com Napier, Crabbe, Turner ou Aminu, Vonleh e Caleb no banco.

Samuel Novaes

Os nomes mais cotados para serem escolhidos pelos Blazers

 

TJ_Leaf_00.jpg

Faltam quatro dias para o Draft da NBA e o Portland Trail Blazers vão ter três escolhas de primeiro round. Tirando todos os boatos de que os Blazers devem trocar pelo menos uma das suas escolhas para conseguir liberar espaço no CAP o que nos resta é o fato de que o GM dos Blazers Neil Olshey deve chegar no draft day com no mínimo três nomes na cabeça. A questão é: quais seriam esses nomes?

O site Blazers Edge fez um levantamento dos nomes mais citados pelos Mock Drafts para ser uma possível escolha de Portland. Segundo o cite os nomes mais citados para a 15º escolha foram os de Harry Giles e o de Justin Patton. Para a 20º escolha o nome mais citado disparadamente foi o de TJ Leaf (5x). Já para a 26º escolha Isaiah Hartenstein teve o seu nome lembrado mais vezes.

58d07ce13bdc3.image

Acredito que alguns outros jogadores devem ser lembrados junto com os já aqui citados. São eles: Bam Adebayo e Anzejs Pasecniks. Adebayo apesar de não receber unanimidade em uma escolha específica foi muito citado de modo geral e cairia muito bem em Portland. Já Pasecniks por outro lado só treinou oficialmente com os Blazers (como bem lembrado pelo querido @BlazersBrasil) o que é um sinal interessante para Portland.

p.jpg

A questão é que as escolhas de Portland não deve sair muito do que foi dito por aqui. Apesar do Draft ser uma caixinha de surpresas, se os Blazers não trocarem uma (ou mais) das suas picks, esses devem ser os nomes que estarão na cabeça do nosso GM no dia decisivo.

PF: Harry Giles, TJ Leaf, Isaiah Hartenstein

C: Justin Patton, Bam Adebayo, Anzejs Pasecniks

Samuel Novaes (@TrailBlazersBra)

 

Knicks teria demonstrado interesse em uma das escolhas de Portland nesse draft

nba-nba-draft-850x560

Segundo Ian Begley da ESPN o New York Knicks  está interessado em uma das primeiras escolhas dos Blazers no Draft de 2017. Os Knicks tem a 8º escolha nesse Draft e com uma possível reformulação do time (saída de Carmelo e Rose) da para se pensar que o time vá atrás de jovens jogadores nesse Draft que se mostra tão talentoso.

Para pensarmos nessa troca uma coisa deve ficar clara: a troca , caso seja feita por Portland, será pensando no maior objetivo dos Blazers nessa offseason que é a diminuição do salário. Essa trade seria, a priori, muito boa para os Blazers, primeiro porque Portland não precisa de três escolhas nesse draft (até porque não há nem espaço no elenco para isso) e em segundo lugar porque o principal objetivo (liberar o cap) do time seria cumprido.  Além disso, pelos jogadores que os Blazers estão observando para o Draft dá para perceber qual é a intenção do time. A maioria desses jogadores eram jogadores previstos para uma segunda rodada, ou seja, Portland não está pensando em usar a sua 15º escolha nesse draft e talvez nem a 20º (se usar deve ser para selecionar Ivan Rabb, mas isso deve estar em aberto). Com isso podemos enxergar com quais jogadas Neil Olshey está trabalhando e prever com quais jogadores ele vai procurar fazer esses movimentos. Acredito que o movimento mais provável para os Knicks seja uma troca envolvendo Turner e uma pick. Meyers não seria tão útil quando Evan, já Crabb tem um bônus no seu salário em caso de troca, o que a torna bem mais complicada. Outro ponto importante nessa discussão é ver que os Knicks podem abrir um espaço de até 31 milhões de dólares caso D.Rose não continue no time. Isso é ótimo para Portland que quer enviar jogadores com altos salários. O ponto que fica é o seguinte: Quem os Knicks mandariam para Portland nessa troca?  Carmelo (26 milhões de salário) deve sair mas talvez Portland não seja o destino mais viável financeiramente, a não ser que a troca envolva dois grandes salários dos Blazers, Turner (17) e Crabb(18), o que a tornaria mais possível já que Portland diminuiria o salário e teria que contar com o Carmelo por menos tempo (pelo menos contratual) do que teria que contar com Crabb e Turner por exemplo.

Agora o que nos resta é esperar o desenrolar dessa história e torcer para que Neil Olshey faça um bom negócio na offseason desta vez.

 

Samuel Novaes.